Óleo Essencial x Essência

A aromaterapia é uma prática terapêutica que faz uso de substâncias naturais muito concentradas extraídas de plantas medicinais, conhecidas por óleos essenciais.  Essa prática possui o objetivo de proporcionar saúde física, mental e emocional, atuando efetivamente no organismo, através do uso dos óleos essenciais.

Os óleos essenciais são concentrados orgânicos e naturais, extraídos diretamente das plantas, nas folhas, flores, raízes e caules. Estes possuem o objetivo de promover saúde e bem-estar, são utilizados em uma infinidade de situações, que trazem benefícios ao nosso organismo.

Essências são imitações sintéticas dos compostos naturais encontrados nos óleos essenciais, que visam fornecer uma fragrância agradável, sem efeito terapêutico, e muitas vezes acarretando toxicidade ao organismo.

Esta é a principal razão pela qual é possível encontrar produtos com preços distintos, os óleos essenciais possuem valores mais elevados em relação às essências. Por isso, é necessário saber a procedência dos óleos essenciais e a qualidade terapêutica do mesmo.

Como tratar a saúde mental com o uso de óleos essenciais?

O uso dos óleos essenciais em dias de Isolamento Social é essencial para o auto cuidado, principalmente quando relacionado a nossa saúde mental. Olhar para dentro de si, alimentar a alma com pensamentos positivos e afirmações de que dias melhores virão, é essencial para mantermos uma saúde mental saudável.

No intuito de combater desequilíbrios como o estresse, a ansiedade e a depressão, alguns hábitos fazem total diferença. A alimentação saudável juntamente com bons hábitos, como de praticar exercícios físicos e fazer uso dos óleos essenciais é super indicada para mantermos uma boa saúde psíquica.

Os óleos essenciais são grandes aliados para o auto cuidado e prevenção das doenças que nos acometem, quando usados diariamente trazem diversos benefícios a nossa saúde. Existem sinergias com óleos essenciais que promovem a concentração, a vitalidade, a meditação, o amor-próprio e qualquer tipo de “estado mental” que você queira induzir, no intuito de ajudar a enfrentar diversas situações.

A aplicação da aromaterapia na prática, inicia-se primeiramente com a identificação dos desequilíbrios e suas necessidades, para então encontrarmos o óleo essencial mais indicado para sua necessidade.

Abaixo relacionei alguns óleos essenciais que podem ajudar com ansiedade, depressão, TPM, fadiga, estresse, déficit de atenção, bipolaridade, irritabilidade e luto.

Os óleos essenciais são aliados alternativos para cura e tratamento, mas não excluem a importância de acompanhamento psicológico ou psiquiátrico, conforme o caso.

  • LAVANDA: muito usada para tratar dores de cabeça, nervosismo, depressão e insônia. O óleo traz calma, clareza auxilia nos momentos de irritabilidade e crises de ansiedade.

Modo de Usar: ducha simples, pingar até 5 gotas de óleo essencial no canto do box do chuveiro e inalar durante o banho.

  • LARANJA DOCE: alivia ansiedade e dor de cabeça, regenera os tecidos, traz alegria e bem estar.

Modo de usar: escalda pés, diluir 6 gotas do óleo essencial em 1 colher de álcool de cereais. Adicionar em 4 litros da água quente no inverno e água fresca no verão.

  • PATCHOULI: o seu aroma no ambiente cria uma atmosfera oriental, sedante, antidepressiva e para alguns afrodisíaca. Faz desaparecer a apatia e favorece a reflexão. Acalma a angústia mental, dá perspectiva à vida e ajuda em casos de perda da autoestima.

Modo de usar: massagem, escolha 30 ml de um óleo vegetal ou uma base cremosa vegetal  e adicione 5 gotas de óleo essencial. 

  • YLANG YLANG: melhora a ansiedade e agitação, ajuda a relaxar auxiliando no sono. Possui propriedades calmantes que ajudam a aliviar o estresse, a tensão nervosa , muscular e a acalmar as palpitações, promovendo o relaxamento.

Modo de usar: colar aromático, 1 gota 1 vez ao dia.

  • BERGAMOTA: promove otimismo, poder pessoal, autoconfiança e autovalorização, especial em momentos que nos sentimos vulneráveis à opinião externa, proporciona bem estar. Trata depressão, tensão nervosa, ansiedade, insônia e estresse.

Modo de usar: escalda pés, diluir 6 gotas do óleo essencial em 1 colher de álcool de cereais. Adicionar em 4 litros da água quente no inverno e água fresca no verão.

  • SÁLVIA ESCLAREIA: ajuda no desenvolvimento da memória, auxilia no foco e oferece benefícios para quem sofre com Alzheimer.

Modo de usar: compressa fria ou quente, 2 a 3 gotas em compressas úmidas.

  • VETIVER: poderoso calmante, reduz a frequência cardíaca, normaliza a respiração e combate a estafa física e mental.

Modo de usar: escalda pés, diluir 6 gotas do óleo essencial em 1 colher de álcool de cereais. Adicionar em 4 litros da água quente no inverno e água fresca no verão.

  • CAMOMILA: relaxante, auxilia no tratamento da ansiedade, tensão, irritação e apatia. Ajuda a relaxar, transmite paciência, paz e alivia preocupações. Acalma a mente e, em geral, é benéfico para tratamento da insônia.

Modo de usar: colar aromático de cerâmica, 1 gota 1 vez ao dia.

Você já utilizou algum desses óleos? Qual foi sua experiência?

Qualquer dúvida escreva nos comentários.

REFERÊNCIAS:

DE LYRA, Cassandra Santantonio. A Aromaterapia Científica na Visão Psiconeuroendocrinoimunológica: Um Panorama Atual da Aromaterapia Clínica e Científica no Mundo e da Psiconeuroendocrinoimunologia. 2009. 174 f. Dissertação (Mestrado) – Instituto de Psicologia, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

TISSERAND, Robert. Essential Oil Safety: A Guide for Health Care Professionals. Londres, Reino Unido: Churchill Livingstone, 2014.

Óleos Essenciais Antivirais e Antibacterianos mais comuns na Aromaterapia

Com esse assunto de pandemia em foco, devido ao CORONAVÍRUS (COVID -19). Vamos a relação dos óleos essenciais antivirais e antibacterianos mais comuns na aromaterapia, que podem ser usados preventivamente. ⠀⠀⠀


→ Alecrim (Rosmarinus officinalis);
→ Erva doce (Foeniculum vulgare Dulce);
→ Cravo (Eugenia caryophyllus);
→ Eucalipto (Eucalyptus globulus);
→ Hortelã pimenta (Mentha piperita);
→ Limão siciliano (Citrus limon);
→ Tea tree (Melaleuca alternifólia);
→ Canela (Cinnamomum cassia). ⠀⠀⠀


Através desses óleos essenciais podemos criar uma sinergia, para utilizarmos na prevenção de vírus e bactérias presentes no ambiente.
Essa sinergia pode ser feita, com três dos óleos essenciais relacionados acima. Escolha os que são de sua preferência e prepare essa sinergia maravilhosa.

→ Preparo ←
– 30 gotas de óleo essencial de Alecrim;
– 30 gotas de óleo essencial de Hortelã Pimenta;
– 30 gotas de óleo essencial de Tea tree;
– 100 ml de Álcool de cereais.
⠀⠀⠀⠀
→ Modo de usar ←
Em um recipiente de vidro adicione 100ml de Álcool de cereais e adicione as gotas dos óleos essenciais indicados. Misture bem e coloque a sinergia preparada em um recipiente com borrifador. Aplique no ambiente e em locais que você deseja se prevenir do vírus. ⠀⠀⠀

→ Cuidados necessários ←
Grávidas, bebês e crianças pequenas devem evitar os óleos essenciais relacionados acima.

Ansiedade! Saiba como eliminar esse sintoma com os óleos essenciais

Conforme nosso panorama mundial atual, o uso das terapias complementares tem recebido destaque, tanto nos países ocidentais desenvolvidos como nos países pobres e em desenvolvimento. Isso ocorre principalmente, pelo motivo das terapias complementares, passarem por um estimulo da Organização Mundial de Saúde. No Brasil, o uso de algumas dessas terapias é adequado ao Sistema Único de Saúde (SUS) por meio da Portaria nº 971, que incentiva e regulamenta o uso dessas técnicas nas unidades de atendimento à saúde.

As terapias complementares são conhecidas também como terapias naturais ou alternativas, sendo estas definidas como “todas as práticas de promoção de saúde e prevenção de doenças, que utilizem basicamente recursos naturais”. O crescimento dessas terapias no Brasil está relacionado não apenas à sua eficácia e baixo custo, mas também ao modo de assistência e atendimento que tem como foco no indivíduo como um todo e não apenas na doença, proporcionando um atendimento voltado para o equilíbrio das emoções, melhora no bem-estar físico e mental.

Utiliza-se muito nas terapias complementares, os óleos essenciais, que são substâncias naturais extraídas de plantas que atuam de diversas formas no organismo. Os óleos essenciais podem ser absorvidos, por meio de inalação pelas vias aéreas, por uso tópico ou ingestão.

Quando inaladas, uma porcentagem mínima do óleo essencial (OE) ativa o sistema do olfato pelo bulbo e nervos olfativos, que propiciam uma ligação direta com o Sistema Nervoso Central, levando o estímulo ao Sistema Límbico, responsável pelo controle da memória, emoção, sexualidade, impulsos e reações instintivas. O restante da quantidade inalada trafega pelo sistema respiratório e chega à corrente sanguínea. Por via cutânea, o óleo essencial é absorvido e transportado pela circulação sanguínea, sendo conduzido até os órgãos e tecidos do corpo. Através da ingestão, as moléculas dos óleos essenciais são absorvidas pelo intestino e levadas aos diversos tecidos corporais.

O uso dos óleos essenciais aplicados no tratamento a ansiedade, são cientificamente comprovados. A ansiedade é um estado emocional, que engloba sentimentos de medo, insegurança, apreensão e alteração dos estados de alerta. Estudos demonstram, que o uso contínuo de óleos essências, pertencentes ao grupo funcional Éster, como exemplo, óleo essencial de lavanda e gerânio, conferem ação tranquilizante e calmante.

O óleo essencial de lavanda é muito indicado para tratar estresse, melancolia, depressão, raiva, medo, ciúme, culpa, apatia, mudança de humor, confusão, timidez, dentre outros sintomas. Sendo o óleo essencial de gerânio, indicado no tratamento de ansiedade, agitação, debilidade, fadiga nervosa e mental, raiva, medo, desequilíbrio nervoso, mudança de humor causados por alteração hormonal.

Quando esses óleos essenciais são aplicados de forma correta e contínua, comprova-se sua eficácia por meio da diminuição do IDATE (Inventário de Ansiedade Traço-Estado). O óleo de lavanda, considerado o mais eficaz, teve uma redução de -11,80 de IDADE, após 60 dias de uso.

Fonte: GNATTA, Juliana Rizzo; DORNELLAS, Eliane Vasconcellos; SILVA, Maria Júlia Paes da. O uso da aromaterapia no alívio da ansiedade. Acta paul. enferm. [online]. 2011, vol.24, n.2, pp.257-263. ISSN 0103-2100.Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-21002011000200016&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 12 mar. 2020.

Óleo essencial de Lavanda e seus benefícios para a saúde

A lavanda é um dos óleos essenciais, mais conhecidos e populares do mundo. Sua versatilidade o torna um dos “queridinhos” entre os usuários dos óleos essenciais, principalmente para aqueles que buscam potencializar seus cuidados pessoais através de produtos naturais.

Sua denominação “lavanda” sofre influência do latim “lavare”, que em português significa “lavar”. Seu significado reflete em suas propriedades, que revelam características de purificação, relaxamento e bem estar.

Dentre as principais propriedades do óleo de Lavanda, se destacam:

  • Analgésica
  • Antidepressiva
  • Antisséptica
  • Antiviral
  • Sedativa

Fique livre de estresse, dores musculares, tensões, queda da imunidade e aqueles resfriados constantes. Xô ziquizira!!! Use a lavanda diariamente e sinta seus efeitos benéficos no organismo.

O uso do óleo essencial de lavanda pode trazer os mais diversos benefícios a nossa saúde, além de atuar como um poderoso aliado no tratamento da ansiedade, melhora na qualidade do sono e funcionamento do sistema imunológico. Seu uso constante atua no tratamento de diferenças doenças como:

  • Insônia;
  • Depressão;
  • Dores de cabeça;
  • Perda de cabelo;
  • Acne;
  • Náusea;
  • Irritações na pele;
  • Queimaduras, etc.

Por essas e outras propriedades referentes ao óleo de lavanda, meu conselho é: na dúvida para escolher o seu primeiro óleo essencial, vá de lavanda. Ele é um produto natural livre de restrições e pode ser usado por qualquer pessoa, sendo ideal para se ter em casa e ser utilizar em suas rotinas diárias.

Só fique atento as questões de se utilizar em excesso o óleo essencial, pois seu uso acima do limite permitido, pode causar alergias ou intoxicação.

A Química dos Óleos Essenciais

A química é considerada o item principal de toda e qualquer matéria existente. Por meio desta, podemos estudar a matéria, suas propriedades, constituição, transformações e processos energéticos.

No ramo das ciências da natureza, a matéria é o principal elemento de estudo, definido como tudo aquilo que ocupa lugar no espaço e que possui massa. Independente do formato ou origem, não existe material fora da visão química, essa promove um grande impacto sobre a tecnologia e todos os ramos das ciências.

Os óleos essenciais por sua vez, não poderiam ficar fora desta tão importante classificação química. Nos óleos essenciais, podemos observar uma grande variedade de compostos químicos. Os compostos presentes com maior frequência são os terpenos, ou terpenóides, substâncias que derivam de ligações de carbono e hidrogênio, formando o isopreno. Em decorrência dessa ampla variedade de compostos, os óleos possuem variadas funções químicas por meio da representação dos álcoois, cetonas, aldeídos, ácidos carboxílicos, ésteres, óxidos, acetatos e outros. Todos esse compostos químicos representam parte significante da planta envolvidas no processo medicinal da mesma.

Em todos os óleos essenciais existe um componente químico majoritário, que dita as características organolépticas, perceptíveis e sensoriais do produto. Esses componentes interferem positivamente em sua aplicação dérmica, inalação e uso geral dos óleos essenciais, além de ditar os principais benefícios do óleo e a melhor forma de aplicação do mesmo nos tratamentos alternativos.

Os óleos essenciais quando aplicados por meio de tratamentos alternativos, interligam o meio físico e o espiritual. Eles possuem a função de tratar de forma completa o organismo, por isso é de extrema importância conhecer o produto e sua composição química.

Estresse a doença do século

Vivemos atualmente em uma sociedade onde ocorrem mudanças constantes e contínuas, uma época completamente dinâmica e que nos exige constantes adaptações, as mudanças do nosso cotidiano.

Por meio, dessa constante metamorfose diária à qual somos submetidos, surge o estresse “a doença do século”. No entanto, devemos considerar que o estresse faz parte da nossa condição existencial, portanto, a ausência completa do estresse nos levaria à morte. Portanto, devemos então desacelerar e reduzir ao máximo o nível de estresse no nosso organismo, para que seus efeitos nocivos não sejam prejudiciais a nossa saúde.

Existem várias formas de se prevenir o estresse, dentre elas podemos considerar a aromaterapia, técnica que utiliza óleos essenciais extraídos de plantas medicinais, aplicadas ao nosso organismo, através da inalação ou uso tópico do óleo essencial específico para tratamento do estresse. 

Dentre as vias de ação do óleo essencial podemos considerar as ações por meio:

– Fisiológico: ocorre por meio das características químicas dos óleos essenciais;

 – Psicológico: sua ação atinge o campo mental emocional, ou seja, suas emoções e a mente;

– Energético: age sobre a energia do corpo, nossa frequência energética.

O óleo essencial trata por completo o ser, desde suas emoções até suas dores físicas. Dentre os óleos essenciais que auxiliam no tratamento do estresse temos:

– Lavanda;

– Camomila Romana;

– Limão Siciliano;

– Alecrim;

– Laranja doce;

– Vetiver.

Por meio da aromaterapia, alcançamos um tratamento de forma natural, que atua de forma eficaz no organismo sem gerar efeitos colaterais, promovendo bem estar e saúde.

Guia dos cosméticos saudáveis

Os cosméticos e seus bioativos possuem como objetivo principal, atuar nas estruturas extremas do corpo humano, como a pele e os cabelos, de forma idêntica aos processos vitais. Estes auxiliam o metabolismo no processo de prolongamento da juventude e retardamento do processo de envelhecimento.

A cosmetologia é a ciência que serve de suporte à fabricação dos produtos de beleza, permitindo verificar suas propriedades e melhores formas de aplicação e utilização no organismo. O processo de cosmetologia quando associado a aromatologia, fornece de forma natural e segura a produção de vários cosméticos que trazem bem estar e saúde, através da adição dos dos óleos essenciais à bases veganas.

O conhecimento das leis naturais e a correta utilização dos bioativos, fazem da cosmética natural uma excelente opção no atendimento das mais diversas necessidades da sociedade. Esses cosméticos ao serem aplicados, atuam como verdadeiros agentes de tratamento, com propostas e sugestões que podem modificar a estrutura e a atividade da pele.

Os óleos essenciais presentes nos cosméticos naturais, penetram na pele por meio dos dutos das glândulas sudoríparas. Ao serem absorvidos pela epiderme, os óleos essenciais são gradualmente liberados para a derme, local onde o óleo essencial penetra nos vasos sanguíneos e são transportados para todo o organismo.

Este processo de absorção do cosmético natural à pele, promove cura, equilíbrio e auxilia na manutenção da homeostasia do corpo, processo este que regula e equilibra as funções químicas do organismo, mantendo-o equilibrado e proporcionando bem estar geral.

Aromaterapia para aumento da imunidade

O sistema imunológico consiste em uma rede de células, tecidos, órgãos e moléculas que atuam diretamente no processo de defesa do organismo contra o ataque de invasores externos como: microrganismos, vírus, parasitas, bactérias ou fungos.

A resposta coletiva e coordenada das células, órgãos e moléculas que defendem nosso organismo, atuam no processo de detecção do agente invasor e no seu combate é denominado de resposta imune.

O sistema imune é dividido em imunidade inata ou natural, que é a resposta imune do organismo, e imunidade adquirida ou adaptativa, sendo esta a resposta imune adquirida.

Quando o corpo é atacado por algum microrganismo ameaçador, o sistema imunológico responde através da reação em cadeia. Os fagócitos conhecidos por células brancas, detectam o corpo estranho e o envolvem para eliminá-lo do organismo. Este encontra-se imune, quando o organismo tem anticorpos suficientes para evitar quaisquer sintomas que surjam.

Quando o sistema imune não consegue combater os invasores de forma eficaz, o corpo pode reagir através de doenças, infecções ou alergias, sendo que os linfócitos irão atuar diretamente no combate a agentes invasores e células anormais no organismo.

Conforme a medicina ocidental, quando algum sentimento agride nossa unidade funcional, o órgão correspondente a este tende adoecer. Em situações difíceis, estressantes ou problemáticas o corpo manifesta sinais de alarme, através de sintomas manifestados no organismo. Esse processo é conhecido pela medicina ocidental por somatização.

A aromaterapia, técnica aplicada através dos óleos essenciais é um processo muito conhecido na medicina ocidental, sendo seu principal intuito realizar a cura do corpo e da alma pelo uso aromático dos óleos essenciais. O aumento da imunidade pode ser adquirido, através do uso contínuo de determinados óleos essenciais que possuem o intuito imunoestimulante.

Dentre os óleos essenciais mais utilizados para aumentar a imunidade temos:

Limão Siciliano: antiviral, bactericida, imunoestimulante, diurético, depurativo, reduz os níveis de triglicerídeos, antitumoral, elimina bactérias estafilococos, etc.

Eucalipto: antiviral, anti-inflamatório, antimicrobiano, analgésico, cicatrizante, aumenta a taxa de absorção cutânea, etc.

Gengibre: antioxidante, neuroprotetor, anti-inflamatório, digestivo, estimula a circulação sanguínea, tônico, antitumoral, etc.

Alecrim: poderoso antioxidante, anti-microbiano, analgésico, antiviral, estimulante físico, hipertensor, etc.

Os óleos essenciais são uma alternativa para aumentar a imunidade. No entanto, seu uso deve ser associado a uma boa alimentação e a prática de exercícios físicos constantes.

Biocosméticos: uma beleza sustentável

A palavra cosmético deriva dos radicais gregos “kosmos tikos” que significa, tem poder de ordenar ou habilidade de decorar. Desde a antiguidade dos cosméticos até os tempos atuais, mudou-se muito a definição do termo cosmético, que passou de um produto de adorno à um produto para melhorar a qualidade de vida.

Os biocosméticos surgiram com o intuito de retificar a definição de cosméticos. Os cosméticos que hoje possuem caráter tóxico, irritante e prejudicial à pele, devido a alta composição de produtos tóxicos nas formulações, dão lugar aos produtos naturais com formulações menos agressivas a pele e que geram maior hidratação, bem estar físico e mental.

Com o impacto da crise ambiental, as pessoas estão se conscientizando e preferindo produtos que não causem danos ao meio ambiente e a sua saúde. Por isso, a sustentabilidade e a responsabilidade ambiental, são termos que encontram-se em alta nos dias atuais. A preocupação da sociedade, com o bem estar e a saúde, fazem crescer esse mercado que se encontra cada vez mais promissor.

Os biocosméticos geraram um novo conceito na cosmetologia e forneceram uma visão diferente em relação ao uso consciente dos cosméticos. Estes devem ser ecológicos, sustentáveis e precisam garantir uma formulação de um produto ecologicamente correto. Sua elaboração precisa ser realizada com ingredientes vegetais, sem conservantes artificiais, livres de compostos tóxicos e derivados de petróleo.

A utilização dos biocosméticos geram inúmeros benefícios a pele e ao organismo, como por exemplo a diminuição da carga química sobre a saúde, uma vez que 60% dos produtos químicos utilizados na produção dos cosméticos são absorvidos pela micro circulação sanguínea presente na pele, couro cabeludo e cabelo. Estes produtos químicos uma vez presentes na nossa corrente sanguínea, por meio dos cosméticos, chegam aos nossos órgãos causando intoxicação e somatizando doenças.

Consequentemente é necessário nos informarmos melhor, sobre todos esses benefícios que os biocosméticos nos oferecem para uma melhor condição de vida.